sexta-feira, março 20, 2009

Curso de espeleologia

Está a fazer algures em Março (creio que 11 e 12 / 18 e 19) 9 anos que eu, a C. e a B. fomos fazer um curso de espeleologia, dois fins de semana, muito entusiasmo, uma esperança (vã) de utilização prática.

Quantas imensas fantásticas boas e más recordações tenho desse curso!

Sem dúvida uma memória a desenvolver.

Mas deixo aqui este episódio hilario-humilhante da minha pessoa.

Por esta altura andava eu durante a semana a tratar de véus e grinaldas (mentira, era só véus) e ao fim de semana ia para o curso, lá para trás donde o diabo perdeu as botas.

O primeiro fim de semana consistiu em aprendermos técnicas de escalada. Fomos treinar esta técnica numa esscarpa, aquilo devia ter uns 30 metros de altura, era uma reentrância na rocha com uns 25 e uma superfície rija de calcário mais saliente com uns 5.


E entre todos os colegas que já nem me lembro quais foram lá vão a boa da C., da B. e eu. a subir tuca-tuca-tuca-por ali acima, entusiasmadas e tal e coiso.

Chegadas lá acima toca de descer e passar a corda a outro e não ao mesmo.

E eu que nem tenho vertigens começo a olhar cá para baixo e nem pensar. No way, nem pensar que me apanhavam a descer aquilo.
Tinha que "dar as costas" à escarpa, pôr os pés na parte saliente da rocha, descer aos "saltinhos" aqueles 5 metros e depois... depois é que a porca torcia o rabo! Sentar-me no ar, literalmente, sem apoio nenhum, com um "cordel" a suportar o meu peso. Fiz a primeira tentativa, e entrei em pânico e agarrei-me à rocha e sem saber como nem porquê lá me vi achada outra vez em cima da escarpa. Um bocadito mais arranhada e tal.

Ora isto foi sucedendo do mesmo modo um sem número de vezes, os colegas iam e vinham e eu ali sentadinha a olhar a pensar como é que ia descer. Digamos que em cima da escarpa não havia muito espaço mas eu já imaginava um saco cama e um helicóptero a trazer-me comida uma vez por semana e fazer xixi num bacio. Sim, porque a dada altura comecei a ficar imensamente aflita para ir à casa-de-banho.

Alguém entretanto avisa-me que o Thunder me estava ligar. Óh bolas... e eu ali em cima. Pedi para atenderem e dizer que se clahar não ia haver casamento porque eu não conseguia descer dali.

Entre risos humorísticos e meio histéricos a vontade de fazer xixi era cada vez maior.

Motivada pela vontade de fazer xixi lá acabei por descer.

E querem saber que mais? Depois de fazer o meu xixizinho e ter aliviado a quantidade de roupas (que entretanto o calor começou a apertar) tomei-lhe o gosto e não queria outra coisa. Subir - descer - subir - descer.. Afinal era simples e absolutamente fantástico!

2 comentários:

mimanora disse...

Bela aventura que me fez rir e muito!

Thunderlady disse...

Se tivesses estado lá ainda tinhas rido mais, muuuuito mais!