domingo, maio 17, 2009

O vestido

Há certas coisas que associo sempre a outras.

Por exemplo, é impossível estar a arranjar morangos e não me lembrar de V. N. Milfontes e da minha infância.

E hoje enquanto arranjava uns moranguitos lembrei-me daquele episódio em que os meus pais, ainda casados, iam sair connosco numa tarde qualquer. Devíamos ir a casa dos primos de Sines? Santo André?

Não me lembro onde íamos, mas lembro-me que aqui a Vanda Maria já tinha tirado os calções estafados, o boné e ja tinha arrumado a bicicleta.

A minha mãe tinha-me já composto com um vestidinho - vestido que engraçadito, feito pela minha outra avó - e penteado o cabelo, eu até parecia um anjinho... quase, quase.

Impaciências de criança e o vamos ou não? habitual e eu e o meu irmão saímos para ir brincar mais um bocadinho enquanto os "crescidos" não arrancavam.

Lembro-me nitidamente da minha mãe recomendar cuidado com o vestido, não te sujes!.

Também me lembro de ir apanhar umas lindas amoras. De comer umas e de querer trazer outras. Para a mãe, o pai e os avós, claro.

Lembro-me de serem tantas amoras que não cabiam nas minhas mãos pequenas de 6 ou 7 anos. Vai daí que quando não couberam mais nas mãos peguei na borda do vestido, puxei para cima e toca de o encher de amoras.



Não preciso dizer os resultados, pois não??

3 comentários:

mimanora disse...

Deixa-me adivinhar,ficaste com um vestido novo?

Gigi disse...

Não! :)

Tem piada, eu estava a comer morangos enquanto lia este post. :)

pensamentosametro disse...

Memórias com cheiro, as minhas preferidas.


bjos



tita